gestos em esperas temporais
2022, desenhos gestuais, crayon e tinta natural de genipapo sobre papel, 594 x 840 mm (quadríptico)

Ganhei de um aluno indígena uma tinta feita de genipapo. Ele mesmo colheu o genipapo de uma árvore em frente à reitoria da UFSC. Macerou e com suas habilidades técnicas criou a tinta… Decidi montar um painel generoso para experimentar a tinta. Uma aguada azul escura que se fixa com o passar no tempo acinzentando-se. Na pele fixa por alguns dias ficando com o passar do tempo mais escura. Os tons azulados somem aos poucos na mesma velocidade que se fixam. Uma marca que dimensiona um tempo e seu passar. No papel fico a esperar para ver seus efeitos temporais. Minhas linhas gestuais realizadas por ambas as mãos ao mesmo tempo fluem e são cobertas pela tinta natural. Crayon e genipapo não se misturam e o efeito me mostra a potência do que não é miscível mas teima em se fixar nos meandros de linhas marcantes. Celebro esse presente do aluno indígena em movimento-arte.

O suporte, assim, é composto por quatro folhas de papel no formato A3 (297 x 420 mm) dispostas uma ao lado da outra formando uma base na qual cada desenho foi executado.

 

Trata-se de uma pesquisa acerca da simetria dos desenhos gestuais e sua execução com ambas as mãos partindo da experimentação com crayon preto e aguada sobre papel e o quanto um repulsa o outro no processo de desenho e pintura.